Lado Brilhante da Lua,  Especiais,  Halloween na Lua,  Pipoca Lunar

Lado Brilhante da Lua: O Exorcista – Uma História de Possessão e Medo

Trailer legendado do filme

Para o Lado Brilhante da Lua – ao contrário do filme trash extremamente engraçado de tão ruim que eu trouxe para o Lado Escuro da Lua – nesse post, tanto o filme quanto o livro são tão bons, que é um dos únicos títulos que não consegui assistir mais que duas vezes. É algo que mexe muito comigo.

O Exorcista, se não for o melhor filme de terror, está super no topo do ranking. De 1973, é baseado no livro de mesmo nome, que foi lançado em 1971 – inspirado nos registros de um suposto caso real, de 1949, nos quais um padre afirma ter realizado um exorcismo de um garoto de 13 anos em Mount Rainier, no estado de Maryland.

Capa do livro de William Peter Blatty
(fonte da imagem: images amazon)

Sim, esse boato de que é inspirado em fatos reais deixa tudo muito mais assustador, porque é algo que simplesmente pode acontecer – em minha opinião – mais facilmente na vida real, do que uma invasão zumbi ou ataque de vampiros, por exemplo.

Puxando na minha memória, todo mundo com quem eu tenho algum tipo de conversa sobre filmes de terror, já assistiu a esse filme – que é um clássico da temática de possessão e afirmam ser o melhor. Eu concordo plenamente – e digo mais –mesmo com os efeitos especiais limitados para a época em que foi gravado, tem uma maquiagem e uma fotografia tão bons, que te transporta para toda aquela atmosfera. Não fica atrás das grandes edições e tecnologias que temos hoje em dia, para os títulos do mesmo segmento.

E é aí que percebemos que não é um efeito ou edição que torna o filme, ou produção cinematográfica, um sucesso. É todo seu conceito, direção, produção, interpretação – e no caso de O Exorcista – como muitos acreditam, um set amaldiçoado, onde coisas bizarras aconteceram durante a produção.

Imagens da produção do filme (fonte da imagem: img ibxk)

O Exorcista – Sobre o Filme

O filme conta a história de uma atriz que está gravando em Georgetown, Washington, e tem uma filha de doze anos. Ela percebe gradativamente que as ações de sua filha estão estranhas e assustadoras. A menina começa com convulsões, depois passa para levitação, super força, uma voz estranhamente demoníaca – além dos palavrões e blasfêmia às quais a garota não estava acostumada a desferir.

Preocupada com aquelas atitudes, a mãe resolve levá-la ao hospital para que uma série de exames e testes psicológicos sejam feitos. Ela suspeitava que pudesse ser algum problema decorrente da puberdade – que era a fase em que a mais nova estava entrando – e, depois que nada foi encontrado, nenhum exame ou testes com anormalidade, a próxima possibilidade seria algum tipo de possessão ou energia maléfica, influenciando as atitudes e episódios bizarros que vinham acontecendo.

A mãe contata, então, um padre que também é psiquiatrapara uma análise – e, quando ele desconfia que a criança possa estar possuída, ela resolve contatar outro sacerdote – esse especialista em exorcismo. Os dois começam a correr contra o tempo para conseguir salvar a alma da pequena, que cada vez mais está se perdendo dentro do corpo que estava em posse de um antigo demônio.

Cena em que as coisas bizarras começam a dar sinal (fonte do GIF: portal do zacarias)

As melhores cenas – as mais angustiantes e as que mais deixam a gente com vontade de virar a mão na cara de quem está possuindo o corpo da garota – acontecem no quarto dela, no segundo andar da casa.

Onde, além de mais levitações, temos a cena icônica da virada de cabeça em 360º, as inúmeras tentativas do demônio de desestabilizar tanto física quanto psicologicamente os homens que tentam expulsá-lo dali – entre outras coisas. A forma como ele machuca o corpo que tomou como seu, também faz desse espírito do mal, além de muito famoso, um dos mais odiados de todos os tempos.

O finalque é um tanto quanto triste – é compensador de alguma forma. Apegamo-nos aos personagens e torcemos para que o bem vença o mal. O que acontece – mas o mal nunca vai embora de mão vazias não é mesmo?

O importante é que nossa personagem principal – que é só uma criança de 12 anos – consegue levar a vida da melhor maneira possível, longe daquele lugar, que engatilhava tantos sentimentos ruins.

Cena marcante, em que a garota possuída gira o pescoço (fonte da imagem: cdn)

O que me deixou mais assustada depois de assistir ao filme – e o que, talvez, tenha deixado ele ainda mais bizarro – foram os fatos sobrenaturais que aconteceram durante as gravações.

Eu sei que são só especulações e alguns fatos confirmados podem ser apenas coincidência – mas, na minha mente que assumidamente tem medo de espíritos, fazem muito sentido. Como o incêndio no set de filmagem, que começou do nada e sem indícios do que possa ter causado. Algumas mortes de pessoas próximas àqueles que estavam envolvidos de alguma forma na produção e execução do filme. E até um padre foi chamado ao estúdio para abençoar o espaço, depois de alguns acontecimentos desastrosos.

Cena do filme (fonte da imagem: darkside blog)

O espírito maligno que se apossa do corpo da garota, é ninguém mais, ninguém menos que Pazuzudemônio da mitologia suméria – que era o rei dos demônios do vento e filho do deus Hanbi. Também representava o vento do sudoeste – eu acredito fielmente: uma vez tomei uma rajada de vento do sudoeste na praia que doeu demais; mas também, quem quando começa a chover com vento continua se abrigando em um guarda sol ao invés de voltar para onde se está hospedado? – que sempre trazia tempestades e estiagem.

Confesso que faz muito tempo que assisti a esse filme – e sim eu não consegui reassistir para escrever esse texto por motivos de: eu realmente tenho medo. Mas algumas cenas e passagens ainda estão tão claras na minha mente – e é difícil listar quantos filmes fizeram isso comigo, ainda mais os de terror.

Há alguma coisa nessa produção que deixa tudo tão marcante – e nem é porque os efeitos e a forma de filmagem eram uma grande novidade para a época – pois quando eu assisti, já estávamos pelo menos nos anos 2000, quando os efeitos e a tecnologia já estava muito à frente da produção de 73.

Cena em que a estatua de Pazuzu aparece no início do filme (fonte da imagem: img ibxk)

Bônus, Sem Arrependimentos: Assistam e Leiam O Exorcista

Então é isso: assistam a esse clássico nesse Halloween – não vão se arrepender; e isso é um fato mais que comprovado. Aliás, leiam o livro também se puderem – eu mesma terminei de ler o meu? Não, mas é porque eu tenho um medo absurdo (não sei se deu pra perceber lendo até aqui –mas é, eu tenho, e é por isso que recomendo tão seguramente que não haverá arrependimentos).

Link para o filme online: https://www.looke.com.br/filmes/o-exorcista

Lado Brilhante da Lua no Lune Station

Também deixo os posts da Sel e da Art dos outros filmes do Lado Brilhante da Lua para que possam ler!

Lado Brilhate da Lua: A Convenção das Bruxas – Bruxas Passam Seu Tempo Conspirando Contra Criancinhas, por Selene

Lado Brilhante da Lua: O Corvo – Uma Trágica História de Amor no Halloween, por Artemis

Oi, eu sou a Gabriela, mais conhecida por aqui como Hekate. Nascida e criada em São Paulo, duplamente escorpiana, apaixonada por tudo ligado à cultura pop e, às vezes, não tão pop assim. Comédias românticas, livros do Sidney Sheldon, playlists e músicos undergrounds, kpop e o Corinthians são minhas maiores paixões. Aspirante a chef de cozinha e escritora, amante de chás e de abraços.