Especiais,  LF 2020,  Lune Festa,  Lune Records

Lune Records: Mixtape Mono, Moonchild e a Criança da Lua! – Lune Festa 2020

Como o próprio filho da Lua, Kim Namjoon diz na letra de Moonchild: “Filho da Lua, você brilha. Quando a Lua nasce, é o seu momento”. Brilhemos: esse é o nosso momento, filhos da Lua, esse post é para nós!

Eu, Hakate, sou simplesmente apaixonada por música em um geral – e isso inclui artistas de todos os cantos do mundo, artes expressadas em todo tipo de idioma que eu tenha a sorte de encontrar na vida.

Com os artistas sul coreanos não foi diferente: minha paixão pela cultura coreana – vocês conhecerão em alguma postagem futura – é claro que não se resume somente na música do país.

Lyric vídeo de Moonchild: a música das crianças da Lua

Para quem não sabe, a música Moonchild é parte da Playlist Mono: a segunda Mixtape do cantor, compositor, produtor musical e líder de um dos maiores boys groups da atualidade, o sul coreano Kim Namjoon (que atende também pelo nome artístico RM, sendo confirmado por ele mesmo significar Real Me, ou o eu real).

Essa é uma música veio até mim como uma palavra de conforto – um abraço na realidade – e me mostrou que eu definitivamente não estava sozinha em meio a meus sentimentos.

Foi como se eu encontrasse meu lugar.  E acredito – como li alguns depoimentos nas redes sociais na época do lançamento – que muitas outras pessoas sentiram a mesma coisa que eu.

Esse foi, portanto, um dos motivos pelos quais escolhi falar sobre essa música: como ela é mais que letra e melodia – e não só ela o projeto todo, que é composto por sete títulos – é como se fosse uma boa conversa ou um conforto de uma boa amizade

Mono não remete somente à Lua, bem como Moonchild também não: é uma coletânea de sentimentos e sensações, o que deixa tudo ainda mais especial.

(Ainda, se quiserem saber mais sobre o itinerário do nosso Lune Festa esse ano, tem tudo explicadinho no post que a querida Art fez: Lune Festa – O Festival da Lua do Lune Station).

Estão prontos para conhecer mais sobre essa canção incrível, seu criador e todo o projeto? Vem com a Hek, vamos embarcar no vagão e seguir viagem para essa estação!

Sobre o Filho da Lua Kim Namjoon e Sua Criação Lunar Mono

Kim Namjoon (RM) criador e cantor de Mono (fonte da imagem: bangtan oficial no facebook)

RM é um dos meus artistas favoritos do mundo – não só pelo sucesso que o grupo ao qual ele faz parte tem, mas por toda a bagagem que carrega consigo. Além de cantar, RM compõe e colabora na composição e produção das músicas que tocam – a paixão dele por todo esse mundo musical é, para mim, o ingrediente principal para toda a admiração que eu e mais milhares de pessoas sentem.

Kim Namjoon (김남준), como já mencionado, é um artista sul coreano, nascido em 12 de Setembro de 1994, na cidade de Ilsan-gu.

Começou sua carreira musical no cenário underground e, alguns anos depois, debutou como líder do grupo BTS (방탄소년단). No início do grupo, por ser de uma empresa pequena – na época, é claro, pois hoje a BigHit Entertainment é uma das agências mais poderosas e influentes do entretenimento sul coreano – passaram por alguns momentos difíceis, mas foi só um motivo a mais para que lutassem e conquistassem todo o sucesso, alguns anos depois.

No ano de 2015, lançou sua primeira mixtape intitulada RM, e, diferente de Mono, as letras e a batida são agitadas e “agressivas” – mostrando, na época, a face de Rap Monster: que era como se identificava e até como era conhecido.

Em novembro de 2017, mudou oficialmente seu nome artístico para RM, por sentir que “Rap Monsternão o representava mais – e foi a partir dessa mudança que Mono foi criando forma.

Em livestream postada no Vlive App em novembro de 2018, Namjoon confessou que estava trabalhando em algumas músicas de Mono há algum tempo – que no final de 2016 a início de 2018, quando resolveu entrar de cabeça no projeto, estava em uma auto análise, pois se sentiu, por muito tempo, monótono: vestindo e usando coisas monocromáticas, sentindo que aquela não era a maneira que ele queria se expressar para o mundo.

Então Mono chegou com esse cerne: de quem ele foi por muito tempo, quem ele era no momento, e o que ele queria deixar de sentir dali em diante.

Desenho de RM produzindo Mono feito pela nossa Artemis (créditos da imagem: Lune Station/Artemis – não utilizar sem autorização!)

Para esse novo projeto, achou que “mixtape” ou “álbum” não cabia no título – e como ele, Min Yoongi (민윤기) e Jung Hoseok (정호석) (integrantes do BTS) já tinham lançado cada um uma mixtape, resolveu que usaria “playlist” para denominar. Uma vez que playlists são facilmente carregadas e encontradas nas plataformas online e de stream na internet, e por esse projeto ser mais leve e pensado em hospedagem online, o termo coube perfeitamente.

Namjoon resolveu lançar nesse formato por achar que nos dias atuais os álbuns, discos, CDs e mixtapes andam muito banalizados; que as pessoas só escutam a faixa principal ou só os singles principais e se esquecem de todo o resto, não dando oportunidade para as outras produções.

Então fez Mono em um formato no qual as pessoas sintam vontade de escutar todas as sete faixas, como se todas as músicas se conversassem ou se completassem de alguma forma. Foi uma sacada com a combinação melódica, as letras e construção em um total.

Em relação às letras, Namjoon disse nessa mesma Live em sua própria explicação que não queria e nem tinha pretensão de descrever sobre o que se trata: fez como se fossem poemas e os poemas são lidos, sentidos e interpretados por cada um que chega até ele de uma maneira diferente – e era daquela forma que ele queria trabalhar com aquele conteúdo. Claro que deu uma breve explicação quanto aos sentimentos e métodos de produção de cada faixa, mas nada que caracterize totalmente cada canção.

Pensando nisso, e lendo por mim mesma a letra de Moonchild, é por isso que realmente escolhi falar sobre ela nesse dia especial, pois será meu ponto de vista dessa obra maravilhosa.

Moonchild, Você Brilha…

(Imagem retirada do MV Oficial de Moonchild no Youtube)

A explicação que RM deu a essa canção foi que Moonchild é para quem gosta mais da noite; foi feita os filhos da noite.

Na letra ele cita “aqueles que são incapazes de respirar à luz do dia”: pessoas essas que se sentem presas por conta das atividades sociais – como trabalho, estudo ou qualquer coisa do gênero. Ele diz que, na época em que criou a música, acreditava que a noite o libertaria de todos aqueles sentimentos do dia a dia.

Para mim, que sou uma filha da lua, sempre vivi meu melhor durante a noite e madrugada, e mesmo não sendo saudável – eu sei – troco facilmente o dia pela noite. O sentimento quando escuto a melodia ou leio a letra de Moonchild é que ela conversa pessoalmente com a minha alma. De todas as faixas dessa playlist que é Mono, a que mais me conforta por ser quem eu sou é ela.

Na letra encontramos versos como “It’s okay to shed the tears, but don’t you tear yourself” – “Está ok derramar lágrimas, só não derrube a si mesmo” – que nos mostra que tudo bem não nos sentirmos bem às vezes, ou dentro do “normal” que é ter e amar uma vida diurna; tudo bem sentirmos vontade de chorar e colocarmos para fora tais sentimentos, só não podemos deixar que isso nos destrua, que nossa existência é maior que qualquer problema.

A Lua conforme vista no MV de Moonchild (fonte da imagem: MV oficial)

E em sequência a essa parte, vem “Moonchild you shine, when moon rise, it’s your time” – “Filho da lua, você brilha, quando a lua nasce é o seu momento” – que, pra mim, nada mais é que um conforto de alma real: mostra que temos nosso tempo e espaço no mundo; quando o astro luz que nos guia nasce, é a nossa hora de brilhar, de levantar a cabeça, de sermos tão fortes e brilhantes quando a luz da Lua – uma energia tão poderosa quanto a luz do sol.

Não tem nada de errado em sermos filhos da noite,  bem como não tem nada de errado com os filhos do dia, cada um tem seu momento de brilhar e produzir sua luz.

Acredito que a letra e embasamento da mensagem que ela tenha a passar são muito mais profundos do que a forma figurativa com a qual eu inspirei minha interpretação – mas, como RM disse, queria que as pessoas vivessem essa experiência de forma completa, que interpretassem como poemas e, para mim, a poesia que ele quis mostrar foi a de que “Somos iguais, temos sentimentos e pensamentos parecidos; você não está sozinho nesse mundo: não é errado ser e amar quem você é”.

E é isso: a forma que esse tipo de amor chega aos fãs é o que deixa tudo ainda mais especial; ver que um artista se vê representado e retratado em sua própria arte de maneira tão íntima, tão pessoal, e tão necessária para a existência de tantas outras vidas.

We’re born in the moonlight, ain’t no fantasy”

“Nós nascemos sob a luz do luar, isso não é uma fantasia.”

Ainda Sobre Mono.

Lançada em 23 de outubro de 2018, pela Big Hit Entertainment, Mono é incrivelmente linda e tocante: fala sobre os sentimentos melancólicos, de solidão e amor que o artista vem carregando em seu coração durante toda a experiência que é ser um músico – hoje e já na época de lançamento – mundialmente famoso.

Namjoon descreve o projeto, em depoimentos, mais como um amigo do que qualquer outra coisa e espera que sua música proporcione algum tipo acalento, resposta ou o que seja para todos os que precisam disso.

A faixa de apresentação foi Forever Rain, ao qual ele lançou o MV dois dias depois que anunciar o nome e a tracklist. Explicou ter feito dessa maneira, para que as pessoas ouvissem e sentissem de mentes e corações abertos – sem se preocuparem com antecedência sobre o que se tratava. Quis trazer, algo que as pessoas sentissem e lembrassem dele por muito tempo.

MV de Forever Rain

Enquanto falava em live sobre o projeto, focou mais em contar as histórias por trás das produções e como chegou à conclusão final – bem como as parcerias para cada título – o que na minha humilde opinião foi genial: deixando em aberto interpretações e sentimentos, como cada ser humano individualmente sinta e viva aquela experiência à sua maneira.

Playlist Mono completa no Spotify!

E embora tenha sido disponibilizada gratuitamente, alcançou o primeiro lugar no iTunes em 102 países, tornando-se o álbum coreano com o maior número de #1 no iTunes e o primeiro álbum asiático a conquistar isso, até aquele momento. 

Bônus: BTS Embarca No Trem Com Destino à Lua!

Grupo BTS, nos bastidores da gravação do MV de Dynamite (fonte da imagem: bangtan oficial no facebook)

Para quem não sabe, o septeto sul coreano Bangtan Sonyeondan (방탄소년단) é um grupo de kpop, composto por homens na casa dos vinte e poucos anos – sendo eles Kim Namjoon (김남준), Kim Seokjin (김석진), Min Yoongi (민윤기), Jung Hoseok (정호석), Park Jimin (박지민), Kim Taehyung (김태형) e Jeon Jungkook (전정국). São mais conhecidos, porém, pelos nomes artísticos: RM, Jin, Suga, J-Hope, Jimin, V e Jungkook, respectivamente. O grupo teve seu lançamento em 13 de junho de 2013 pela BigHit Entertainment.

A Lua é um elemento usado bastante por eles. Seja nos acessórios – como brincos, colares e estampas – quanto em suas músicas e cenários de apresentação – como foi usado recentemente no programa do Jimmy Fallon. Com títulos como Moon, faixa solo de Jin no último álbum do grupo MAP OF THE SOUL: 7; Moonlight, da segunda mixtape de Suga (AgustD); e algumas outras citações tanto da lua como do universo, é nítido para quem os acompanha essa ligação.

Ligação tamanha que, com a ajuda de seus fãs, fez com que a NASAisso mesmo, a NASA – incluísse as músicas Moonchild, Mikrokosmos e 134340 na playlist que montaram para a viagem de ida e volta até a lua, no ano de 2024, em comemoração aos 50 anos da primeira vez em que o homem pisou no satélite que orbita a Terra.

Sucesso, não acham? Nós da Irmandade da Lua também achamos! Diga para nós o que achou nos comentários!

Oi, eu sou a Gabriela, mais conhecida por aqui como Hekate. Nascida e criada em São Paulo, duplamente escorpiana, apaixonada por tudo ligado à cultura pop e, às vezes, não tão pop assim. Comédias românticas, livros do Sidney Sheldon, playlists e músicos undergrounds, kpop e o Corinthians são minhas maiores paixões. Aspirante a chef de cozinha e escritora, amante de chás e de abraços.